loader
Joe Foster - Fundador da Reebok - Connecting Stories PARTTEAM & OEMKIOSKS

Joe Foster

Fundador da Reebok

Joseph William Foster, juntamente com o seu irmão Jeff, fundou, em 1958, a Reebok – seguindo a herança familiar de 1895. O avô de Joe Foster já havia criado os agora denominados ténis com pitões.

Com a Reebok, Joe Foster e o irmão quiseram seguir as pisadas do avô, desenvolvendo – para além de sapatos e sapatilhas – roupa e acessórios desportivos de alta qualidade.

Agora aposentado, Joe Foster está prestes a lançar um livro sobre as suas vivências e experiências profissionais, sendo o convidado especial da série Connecting Stories da PARTTEAM & OEMKIOSKS.

1. Fundador da Reebok e prestes a lançar um livro, fale-nos um pouco da sua carreira pessoal e da sua experiência profissional ao longo dos anos.

Ao deixar a faculdade de engenharia, entrei para a empresa J. W. Foster, fundada em 1895 pelo meu avô, Joseph William Foster e, apenas um ano mais tarde, fui recrutado para o Serviço Nacional, aos 18 anos de idade. Servi dois anos na Royal Air Force como operador de radar, quando não jogava badminton, tendo regressado ao negócio da família em 1955.

Com o meu irmão mais velho Jeff (Jeffrey William – éramos todos JW), deixámos o negócio da família para criar a nossa própria empresa de calçado desportivo em 1958, inicialmente denominada Mercury Sports Footwear e renomeada Reebok Sports Footwear, em 1960.

Joe Foster - Fundador da Reebok - Connecting Stories PARTTEAM & OEMKIOSKS
Créditos: Instagram de Joe Foster

Inicialmente, era difícil ser aceite pelo comércio retalhista e tivemos de desenvolver métodos de venda únicos para chegar ao nosso consumidor, o que permitiu à Reebok construir uma reputação incrível junto dos atletas.

Mas o meu principal objectivo era entrar no mercado muito maior dos EUA e, eventualmente, com 10 anos de viagem e experiência de mercado, tive a sorte de conhecer Paul Fireman, iniciando-se então a construção de uma marca global. Ia passar os 10 anos seguintes a construir uma distribuição global, terminando a minha carreira a tempo inteiro como embaixador global da marca.

2. A Reebok já conta com 62 anos de existência. Como nasceu esta marca e como surgiu o nome para a mesma?

A resposta à forma como a marca nasceu está contida no que já foi referido acima, mas a alteração do nome da empresa surgiu quando fomos aconselhados a registar o nome Mercury. Para nosso descrédito, fomos aconselhados a registar o nome Mercury como uma marca de calçado no Reino Unido. Foi-nos dada a opção de comprar o nome ou de encontrar um novo.

Joe Foster - Fundador da Reebok - Connecting Stories PARTTEAM & OEMKIOSKS
Créditos: reebookthefounder.com

Não tínhamos dinheiro para satisfazer o preço pedido, pelo que, com o conselho de apresentar pelo menos 10 nomes ao registo, iniciámos a nossa pesquisa. Tínhamos muitos nomes de animais na nossa selecção, mas do nada, ao pesquisar num dicionário americano Websters, que tinha ganho num evento de atletismo em 1948, deparei-me com a Reebok – uma pequena gazela sul-africana. Pareceu-me correcto e, como resultado de uma pesquisa no registo, era o único nome sem registo de todos os que tínhamos apresentado.

3. O que faz um produto ser bem-sucedido?

Precisa de ser o estado da arte e de ser usado por "influenciadores", que acrescentam credibilidade ao produto.

4. Durante os anos em que esteve à frente da Reebok, quais foram os principais desafios que encontrou?

Havia muitos desafios e, de certa forma, um contribui sempre para outro. Não tínhamos dinheiro para entrar no volume desportivo do futebol e não era a nossa especialidade. Após um curto período a produzir sapatos de ciclismo, concentrámo-nos no atletismo, onde o nosso avô tinha tido sucesso. Foi aqui que construímos a nossa reputação, mas os volumes eram pequenos em comparação com o futebol e a visibilidade da marca era restrita. Precisávamos do maior mercado dos EUA, onde o Track and Field (atletismo) era uma grande parte do sistema de ensino.

Joe Foster - Fundador da Reebok - Connecting Stories PARTTEAM & OEMKIOSKS
Créditos: Instagram de Joe Foster

A minha primeira aventura nos EUA foi em 1968, na exposição National Sporting Goods, em Chicago. Havia muito interesse, mas os retalhistas americanos não entendiam o conceito de "importar". Eu precisava de um distribuidor e, 10 anos anos depois, encontrei um. Por esta altura, a estrada estava em plena expansão.

A nossa pequena fábrica no Reino Unido nunca conseguiria fazer face à procura, um desafio que eu tinha previsto e tinha recorrido a um amigo na Bata UK para ajudar. Isto respondeu ao volume, mas inicialmente proporcionou problemas de produção e, embora estes fossem rapidamente solucionados, o seu preço não era competitivo em comparação com a produção do Extremo Oriente. Mais uma vez, este desafio tinha sido antecipado e eu deveria fazer a viagem de uma vida inteira para visitar fábricas na Coreia do Sul para ver a qualidade – era boa. Mas isto trouxe o desafio seguinte – o financiamento. Encontrámos a resposta e a Reebok passou a ser a marca desportiva número 1 nos finais dos anos 80.

5. Como tem evoluído a Reebok ao longo dos anos?

O que disse acima sobre o meu tempo activo na Reebok, quando nos tornámos a marca desportiva número 1. Desde então, a marca parecia perder o seu caminho no final dos anos 90 e não encontrou uma forma de continuar a crescer. Eventualmente, como sabemos, a marca foi vendida à Adidas, que procurava uma forma de melhorar a sua pegada nos EUA. Isto funcionou para a Adidas, mas a quota de mercado da Reebok não melhorou, provavelmente por falta de atenção.

Joe Foster - Fundador da Reebok - Connecting Stories PARTTEAM & OEMKIOSKS
Créditos: Instagram de Joe Foster

Agora, o meu entendimento é que a Adidas deseja que a marca Reebok se posicione como uma marca de fitness, para reavivar o fantástico sucesso que a marca teve com a Aeróbica. A Reebok optou agora por simplificar a sua imagem utilizando predominantemente o logótipo vectorial e regressando à fonte da Motter Tectura com a letra R para o lettering de Reebok.

Penso que este é um bom passo e fornecerá uma mensagem mais clara para o futuro, uma vez que a imagem é vista nos seus influenciadores, tais como Ariana Grande, Gal Gadot e Gigi Hadid, juntamente com a sua associação com Victoria Beckham. E acredito que o meu livro irá dar aos mais jovens uma visão da profundidade da história e da inovação que é a herança da marca Reebok, à medida que avançamos mais profundamente na era digital.

Tem de se acreditar, persistir e nunca desistir quando confrontados com os muitos obstáculos e desafios que a construção de uma marca apresenta.

6. Qual foi o ingrediente secreto da Reebok para alcançar o sucesso?

Tem de se acreditar, persistir e nunca desistir quando confrontados com os muitos obstáculos e desafios que a construção de uma marca apresenta. Para além disto, há ainda o factor "sorte". Estávamos lá quando o mercado "Running" chegou e, mais tarde, a Reebok, não sendo tão conhecida nos EUA, estava posicionada de forma excelente para se tornar uma empresa de Fitness Feminino com a chegada da Aeróbica.

7. Está prestes a publicar um livro. Pode adiantar-nos o tema? O que podem os leitores esperar?

O livro vai levar-vos de volta à história do desenvolvimento e marketing do calçado desportivo. Verão que, há mais de 100 anos, o meu avô, Joe Foster, soube usar "influenciadores" para vender os ténis leves costurados à mão (ténis com pitões). Ele forneceu muitos, se não a maioria, a vencedores de medalhas de ouro olímpicas e campeões mundiais nas duas primeiras décadas do século XX. Morreu cerca de um ano antes de eu nascer, no que teria sido o seu 55º aniversário.

Joe Foster - Fundador da Reebok - Connecting Stories PARTTEAM & OEMKIOSKS
Descrição: Joe Foster vai lançar um livro em Setembro sobre as suas vivências e experiências profissionais

O destino diz que, mesmo com a morte prematura do meu irmão Jeff, consegui encontrar a equipa certa para levar a Reebok à marca desportiva número 1. O livro vai ser publicado a 17 de Setembro de 2020 por Simon & Schuster. As cópias assinadas estarão disponíveis a partir do website, clique aqui.

8. Que dicas daria a alguém que quisesse abrir um negócio próprio?

Dependendo da ambição da pessoa e independentemente do produto, deve-se conhecer o seu mercado e saber como o influenciar e financiar. A menos que se tenha acesso ao financiamento, isto significará provavelmente estar preparado para libertar mais do que uma quota de controlo da empresa.

O mundo do marketing, através das redes sociais, está a mudar a visibilidade e a disponibilidade da marca e a Sinalética Digital está a crescer como forma de influenciar os mercados.

9. Como impulsionador de uma marca, e sendo a PARTTEAM & OEMKIOSKS uma empresa que desenvolve e fabrica quiosques multimédia, equipamentos self-service, mupis digitais, mesas interactivas e outras soluções digitais para todo o tipo de indústrias, que relevância tem, na sua opinião, a Sinalética Digital na estratégia da Reebok?

O mundo do marketing, através das redes sociais, está a mudar a visibilidade e a disponibilidade da marca e a Sinalética Digital está a crescer como forma de influenciar os mercados. A era digital percorreu um longo caminho desde que desempenhei um papel operacional. O mundo, incluindo eu próprio, está ligado a algum tipo de dispositivo digital durante uma grande parte do seu dia, pelo que deve ser a forma de influenciar o seu mercado específico.

Joe Foster - Fundador da Reebok - Connecting Stories PARTTEAM & OEMKIOSKS
Créditos: Instagram de Joe Foster

Posso dar-vos um exemplo disto a partir da minha própria experiência. A minha enteada vive em Banguecoque. Lá eles têm um metro. A estação principal é o Sião. Esta é elevada e a enorme sinalização digital dá imediatamente nas vistas enquanto se espera pelo comboio. Havia excelentes anúncios da Adidas que eu nunca tinha visto antes, mais um anúncio da Apple que nos levou a comprar prontamente o novo iPad! Não precisávamos realmente de um e, se não tivéssemos ficado à espera de um comboio e não víssemos a enorme sinalização digital, talvez não o tivéssemos comprado durante algum tempo. Por isso, funciona!

Connecting Stories é um novo espaço editorial conduzido pela PARTTEAM & OEMKIOSKS que consiste na realização de entrevistas exclusivas, direccionadas a personalidades influentes, que actuam em diferentes sectores de actividade.

O projecto, idealizado pela PARTTEAM & OEMKIOSKS, contempla a publicação de histórias de sucesso, por meio de pequenas entrevistas a influenciadores que queiram compartilhar detalhes sobre os seus projectos, opiniões, planos para o futuro, entre outros assuntos.

A ideia é conectar histórias, partilhar conhecimento, desenvolver networking e gerar conteúdos que possam fornecer novas visões, oportunidades e ideias.

Sobre a PARTTEAM & OEMKIOSKS

Fundada em 2000, a PARTTEAM & OEMKIOSKS é uma empresa portuguesa de TI mundialmente reconhecida, fabricante de quiosques multimédia de interior e exterior, equipamentos self-service, mupis digitais, mesas interactivas e outras soluções digitais, para todos os tipos de sectores e indústrias. Para saber mais acerca da nossa história, clique aqui.

Últimas Entrevistas

Para Trás
Hotjar Tracking Code for www.partteams.com